segunda-feira, 29 de maio de 2017

Por: Gisele Gomes*

Patrimônio público é definido, na Lei da Ação Popular, como um conjunto de bens e direitos de valor econômico, artístico, estético, histórico ou turístico pertencente à administração pública diretamente ou indiretamente. Apesar de ser mantido pelo governo, o mesmo deve ser zelado e cuidado pela população de forma geral.

Um patrimônio abrange não só os bens materiais e imateriais pertencentes às entidades governamentais, mas também aqueles que pertencem a todos, de uma maneira geral, como o cultural (Centro Histórico de São Cristovão), ambiental ou natural (Parque Nacional do Iguaçu) e moral. Os mesmos possuem um valor histórico inegável.

quarta-feira, 12 de abril de 2017


“Acreditar no sonho alheio, é garantir a esperança de uma conquista futura!”

Ir. Giovana Buarque.

Na última sexta-feira (07), os alunos dos 9º anos, do Colégio Nossa Senhora da Piedade, finalizaram com chave de ouro, uma sequência de trabalhos que tinham como finalidade, resgatar a história do futebol lagartense e consequentemente, valorizar a prática esportiva em nossas plagas.  O trabalho teve como idealizador o professor de Educação Física da Instituição, Anselmo Eduardo. Com compromisso, empenho e dedicação, ele mostrou que é possível romper os muros escolares e conduzir a classe estudantil, a práticas que marcam para a vida.
quarta-feira, 1 de março de 2017
Por: Tercília Araújo*


“Somente quando for cortada a última árvore, poluído o último rio, pescado o último peixe, é que o homem vai entender que não pode comer dinheiro”

A conturbada relação entre homem e meio ambiente alcança seu auge após o processo de revolução industrial ocorrido nos séculos XVIII e XIX. Uma vez que o índice de consumo tendeu a aumentar nesse período, os meios de descarte entretanto eram e continuam sendo muitas vezes inacessíveis para a população comum. Ainda nessa época, a criação e utilização de insumos também favoreceram o processo de degradação da natureza, visto que o homem visa apenas o lucro provindo da natureza mas não se compromete em cuidá-la.

sábado, 14 de maio de 2016


Por: Maria Paula*  

A carta, o telégrafo, o telefone, a internet, o celular e o smartphone: a evolução dos meios de comunicação denota uma relação entre o desenvolvimento tecnológico e o comportamento humano. Logo, na sociedade contemporânea - marcada pela velocidade do fluxo de informações e pela intersecção cultural e pedagógica -, a necessidade de interações interpessoais frequentes estimulou a criação de meios virtuais de transmissão instantânea a nível global: as redes sociais.

Justamente por apresentarem benefícios como o compartilhamento de ideias e momentos, o contato com pessoas de todo o planeta, o suporte à tendência autorreferente (representada especialmente pelas famosas selfies), além de serem ferramentas de marketing eficientes, abrangentes e de baixo custo, as mídias digitais e redes sociais superaram as mídias tradicionais, cuja popularização do acesso foi muito mais lenta, como o rádio e a TV.

segunda-feira, 4 de janeiro de 2016


“Sou tricolor de coração, sou do Clube tantas vezes campeão...”, assim tem início um dos mais belos hinos do futebol brasileiro de autoria de Lamartine Babo. Foi esse estandarte da música brasileira, unida a história de glórias, que fez do Fluminense carioca uma das mais tradicionais equipes do país. Suas conquistas e seus dramas fizeram de seus apaixonados torcedores, verdadeiros guardiões do manto Tricolor com pó de arroz. Contagiados e envolvidos nessa magia, foi que dois jovens no Povoado Horta, resolveram fundar uma equipe, a qual o nome homenagearia o primo rico das laranjeiras.

É bem verdade, que inicialmente o nome poderia ser outro. Hélio Amorim e Zé Raimundo conhecido por Batatinha, torcedores do Botafogo e Fluminense respectivamente, ficaram em um dilema: como chamar o time a ser fundado? Como em Lagarto já existia um Botafogo, o de Hermógenes Andrade, em consenso e anestesiados pela aurora tricolor, resolveram fundar e nomear a equipe em novembro de 1980, de Fluminense, e assim, rememorar o clássico vovô do Rio de Janeiro em terras lagartenses.